sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Delírio de Dois Corpos



Vejo o relevo do teu corpo feito cadáver
Debruçado no meio do leito
E fico imediatamente derretido,
Embriagado pela voluptuosidade das tuas formas
E pela perfeição dos débeis tecidos que as envolvem!
O que contemplo causa em mim tal cegueira
Que todas as hormonas rompem em efervescência
E a minha mente ordena que me una a ti rapidamente…
Vou ter contigo…
Aconchego-me no teu regaço
E todo o meu ser entra em brava convulsão!

Ficamos os Dois, só os Dois,
Com trocas de mimos
E com actos de carinho alarmantes e escorregadios.
Então, a vontade de Beijos torna-se insuportável
E beijamo-nos ardentemente, com muito Amor.

Já não há roupas,
Apenas corpos misturados num só corpo.
Somos uma só boca, uma só saliva!
Queremos mais
E generosamente, no nosso ninho,
Rebentamos
Pela necessidade de nos satisfazermos,
De satisfazermos a nossa mente e as nossas entranhas…

Os carinhos são cada vez mais ternos, doces e intensos
E invadimo-nos
Numa saborosa telepatia de movimentos e sensações…
Sinto a febre dourada que paira entre nós…
Convertemo-nos em feras e largamos a suavidade.
Esmagamo-nos com toques de Delírio
Que obrigam os poros da nossa pele
A largar ininterruptamente um suor quente e desajeitado
Que escorre até aos nossos umbigos
E arde nas mãos de cada um de nós,
Formando brasas de rara excitação.

Trememos, transpiramos, gememos em loucura
Que parece aproximar-nos de uma asfixia conjunta.
Comprimimos o ventre do outro no nosso ventre.
As línguas vão estimulando os ossos
E o prazer é, agora, imponente e incontrolável.
Tudo aumenta a sua intensidade.
Tu gemes, berras, eu acompanho-te.

Somos finalmente UM!
Está saciada a nossa sede picante de furor
E está gasto o impulso que inflamou em nós.
Repetimos o bafo final que faz evaporar o calor
E, agora, graciosamente, continuamos a amar-nos,
Até mais não!
Quando o amor e o sexo se unem eternamente num só...
Com a pessoa que realmente amamos, toda a excitação atinge o máximo possível e tudo é fantástico e doce e mágico e bom...
Só contigo meu amor, (todos os dias da nossa vida), para todo o sempre...

Nenhum comentário:

Postar um comentário