quinta-feira, 29 de julho de 2010

Coisa da Pele!






Coisas de pele, coisas de desejo.
Coisa de corpos nus entrelaçados.
Coisas olhares tortos, revirados.
Coisas de língua muito alem do beijo.
Coisas de êxtase, se puxar cabelos.
Coisas de músculos empedrejados.
Coisas de seios rijos excitados.
Coisas de líquido encharcando pêlos.
Coisas de química, coisas de entrega.
Coisas de coxas que de tanto esfrega
Chega-se ao ápice de uma forma insana.
E após o gozo, vai-se alegremente,
Dentre os gametas quem chegar a frente
Perpetuar o dom da raça humana.
(poema de um amigo )

Um um sò !






Já não há mais roupas nos  corpos nú,
apenas corpos  misturados num só corpo , 
meu  ser entra em brava convulsão  de troca
de mimos, carinhos , carícias ,nos entregamos 
aos delírio e desejos da carne.
Desnudados estão nosso corpos tremendo , cansados  lado a lado ,
depois de tanto amor.
A batida  do  coração  cada vez mas
forte,toque dos dedos ,em meus cabelos ,
beijos ardentes selam o inicio  de  nosso prazer,
agora mas  imponente e incontrolável
não  tem mas cansaço ,só arrepios e sufocados orgasmo ,gemidos e berro na garganta,
Agora somos ,somente um .
Estamos saciando nossa sede  picante de fùria ,
Quando o amor e o sexo se unem em um só .....

Voce se foi !!





Minha mente imagina  em seu corpo  alcançar.
As minhas mãos buscam frenéticas a pele macia,
Agarro o tapete, num canto da sala.
Perdida de amor e tesão...
Encontro a almofada ... é sua boca carnuda...
Abraço com força e desejo aquele pedaço de pano acolchoado...
Grito seu nome...
De novo...outra vez...

A sua voz acaricia,
O meu ouvido,
Nos ardentes desejos,
Que me fazem delirar.
Olho meu colo, a blusa entreaberta, vejo meus seios salientes...endurecidos...pontudos...
Sua língua passeia por eles, vejo perfeitamente.
Meu corpo treme.

O seu chamado me alicia.
A sua vontade seduz, 
O meu prazer desmedido.
A minha pele quente e úmida
Prende-se em ti, bem devagar. 

O seu beijo adocicado me domina.
No êxtase, que não quer parar.
Nesta noite, o amor nos conduz,
Aos sussurros infindos.
Choro agora.
Choro, de saudade...
Você se foi...