sábado, 11 de setembro de 2010

Dois Corações !


Dois corações que se encontram e se dão,
se derramam de emoção.
Tantas estrelas brilham só porquê existem por você e
não importa mais nada, se sua beleza realizada num
simples sorriso é o sopro que preciso.
Dois corações que vagueiam na escuridão,
presos no seu nome, nem só de sonho ou de ilusão
um brilho que nunca some na lembrança desse homem.
Tantas estrelas reluzem, não é tão simples a
escuridão se um louco beijo desperta a vaga ambição,
a superação do tempo contado na sua respiração,



Portas Fechada !




Portas fechadas,
fronteiras abertas,
dois que se cruzam...
Nós, em pleno fogo e faro,
nos descobrimos entre poros
e atos.


Não há mais tempo,
sentido, parede ou lugar.
Somente os nossos sussurros a passear
num espaço vago
de amor, chamego e acorde.

Silêncio




Silêncio...
envolto em chama,
brisa e perfume...
Isso nos basta.


Olhos
enlaçados...
soltam-se nossos
âmagos,
enlaçam-se nossos
poros


em gosto,
em cheiro,
em gozo,
em paz,
em beijo...

numa dádiva explosiva
provamos, do desejo, a ternura.
brandura que nos
acaricia,
canção que nos afaga
aos poucos.

Pelas Esquinas!
































Pelas esquinas , eu cantei 
pois pelo seu amor eu chorei
quando certa noite acordei
e deixei de sonhar
hoje vivo tranquilo
pois sei que foi apenas uma ilusão
sonhos de um poetas
onhos de um sonhador
pois aprendi a viver
da mais doce realidade
pela qual não sonho mai
samar a quem não me ama
pois aprendi a preservar
a minha amizade
aprendi a dar valor
naquilo que me és mais importante
ou seja...
O amor proprio