quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Vontade de Voce !








Hoje me deu vontade de escrever
Escrever não sei o quê, mas pra você
Hoje me deu vontade de te abraçar
De me perder em teus braços
De me envolver em abraços
Hoje me deu uma grande saudade
Uma enorme vontade
De me fundir em você
Hoje me deu um imenso desejo
De te amar
De me soltar
Hoje eu queria você
Queria viver somente com você,
Por você...
Hoje eu só queria teu calor
E me entregar ao cansaço
De uma noite de amor
Hoje eu queria ver teu rosto
Sentir o suor no teu corpo esgotado de amar
Hoje eu só queria dizer...
Que te quero muito!!!
Quero sentir seu corpo quente sobre o meu,
Suas mãos me acariciando, seus beijos...
Meu desejo... VOCÊ!!!

Minha Cor !






Um homem segura o meu braço
E meus olhos voam
Ao peito de pássaro emplumado
Um peito de aço?
Não, macio, quente, arrepiado
e tem a cor vermelha

Um homem segura meu braço
E seus olhos desejam, me comem
Meu peito arrebita, ofereço taças
Um peito de leite?
Não, vinho sagrado, guardado
e tem a cor vermelha

Um homem segura meu braço
E minha boca assustada cala
Aos lábios que declaram querer
Uma boca vazia?
Não, palavras obscenas, de carne gorda
e tem a cor vermelha

Um homem segura meu braço
E sua boca atrevida grita
Meus lábios tremem, dizendo sim
Uma boca seca?
Não, palavra de saliva quente agridoce
E tem a cor vermelha

Um homem segura meu braço
Minhas pernas bailarinas abrem rubras
Ao seu quente amor à Lautrec
Um Amor arte?
Sim, amor que arde, desenha, mancha coração
e tem a cor vermelha

Um homem segura meu braço
E meus braços amolecem
À mão sua rude, áspera que delata
Uma mão amante?
Sim, solta e vigorosa me rapta, me despe
e tem a cor vermelha
da minha pele
do arfar
do cio
do amor
e tem a cor vermelha

Um homem não segura meu braço
Braço meu sangra ausência, querência
e tem a cor obscena vermelha
A sua vermelha mão atrevida
e tem a cor vermelha

e tem a cor vermelha
cor vermelha

A Correnteza do seu corpo !





Encontram-se rio e mar

nas correntezas de seu corpo.

Seus olhos, translúcidas águas
que resguardam os tesouros
de su'alma sutilmente doce,
inundam meus sonhos
que bordam instantes inebriantes
sob seu acolchoado de seda azul.


Perco-me pelos labirintos

dos horizontes nascentes
de sua pele aveludada
que seduz e dá asas
aos desejos que, sob o azul do céu,
dançam frevo em minh'alma.

Seus lábios, delicados e atraentes,
são brasas vivas do prazer ardente
que consome o fôlego
das minhas idéias inquietas
a buscar as frestas dos suspiros
que desabrocham em seu charme.

Seus versos, água salgada
que escorre pelo corpo,
são mares de ondas bravias,
o beijo frio da brisa
e o silêncio pacífico
das aconchegantes calmarias.

E todos os seus encantos,
que desembocam em meu pensar,
despertam o perfume da certeza
de que no corpo de sua correnteza
encontram-se rio e mar.

Corpo!


Mas o corpo feminino
É pura poesia
Fonte de inspiração

Os olhos são nascentes
De lirismo
A boca, os lábios e os dentes
São poemas sensuais
E o rosto
Se composto em lágrimas
O mais doce dramatismo
Que de amor se lastima

Os cabelos negros ou dourados
Se o vento os ondeia
São uma autêntica epopeia
As costas doce poesia bucólica
Onde apetece pastar
E o seio erecto
O mais belo poema heróico

As mãos postas inspiram religiosidade
Convidam a orar
As coxas, a púbis, o umbigo
Por demais sensuais
São poemas eróticos
Mais votados a gozar
E a tudo o mais que se imagina
E eu não digo

E as nádegas e a vagina?
Poesia pornográfica?!
Jamais 

O corpo feminino no seu todo monumental
Porte
Sorrir
Andar
Calor
Falar
É um poema total
De amor