sexta-feira, 19 de novembro de 2010

SIm Vem!

Sim....
Vem...
Vê?
Tô esperando
Querendo tuas mãos
mas minhas mãos
Teus beijos
nos meus beijos
Teu corpo 
no meu corpo
cheio de desejos
Me arrepia o pelo
me faz cafuné
Morde meu pé
Quero te sentir inteiro
Inalar teu cheiro
Arranhar teu peito
De ti ser inteira
Nem um pedacinho
sem beijinho
Quero tua lingua 
na minha lingua
Em duas forma
para te  sentir  mulher,
lamber-te toda  ....



Sera!!

Será que ainda me resta tempo contigo,
ou já te levam balas de um qualquer inimigo.
Será que soube dar-te tudo o que querias,
ou deixei-me morrer lento, no lento morrer dos dias.
Será que fiz tudo que podia fazer,
ou fui mais um covarde, não quis ver sofrer.
Será que lá longe ainda o céu é azul,
ou já o negro cinzento confunde Norte com Sul.
Será que a tua pele ainda é macia,
ou é a mão que me treme, sem ardor nem magia.
será que ainda te posso valer,
ou já a noite descobre a dor que encobre o prazer.
Será que é de febre este fogo,
este grito cruel que da lebre faz lobo.
Será que amanhã ainda existe para ti,
ou ao ver-te nos olhos te beijei e morri.
Será que lá fora os carros passam ainda,
ou as estrelas caíram e qualquer sorte é bem-vinda.
Será que a cidade ainda está como dantes
ou cantam fantasmas e bailam gigantes.
Será que o sol se põe do lado do mar,
ou a luz que me agarra é sombra de luar.
Será que as casas cantam e as pedras do chão,
ou calou-se a montanha, rendeu-se o vulcão.

Será que sabes que hoje é Domingo,
ou os dias não passam, são anjos caindo.
Será que me consegues ouvir
ou é tempo que pedes quando tentas sorrir.
Será que sabes que te trago na voz,
que o teu mundo é o meu mundo e foi feito por nós.
Será que te lembras da cor do olhar
quando juntos a noite não quer acabar.
Será que sentes esta mão que te agarra
que te prende com a força do mar contra a barra.
Será que consegues ouvir-me dizer
que te amo tanto quanto noutro dia qualquer.

Eu sei que tu estarás sempre por mim
Não há noite sem dia, nem dia sem fim.
Eu sei que me queres, e me amas também
me desejas agora como nunca ninguém.
Não partas então, não me deixes sozinho
Vou beijar o teu chão e chorar o caminho.
Será,
Será,

Junior!!

Tenho uma forma própria de amar
Um jeito só meu
Doce, sensual, envolvente
O meu amor é manso, mas pode se tornar voraz
Dependendo de cada momento
Ele modifica...
E num apetite insaciável
Vou tornando você, minha presa...
Vem, saboreia com apetite
Sinta como estou agora, para você
Penetre o meu ser...
Descubra meus encantos
E tudo que posso fazer...
Aproveita cada momento
Sinta esse gostoso movimento
De corpos que se amam, desvairadamente
Contorcendo-se de todas as maneiras
E sentindo o êxtase chegar, lentamente...
Agora percebe, meu amor?
O quanto você estava perdendo, antes?
Sinta o perfume que exala do meu corpo, juntando ao seu minha Deusa
Nesse momento...
O odor, do amor...
E agora, não pense 
Só sinta...
Aproveita, dessa menino...
Um molequinho, que sou eu
Para fazer você feliz, em minha cama
De todas as maneiras que pensar
E um Universo de coisas para aproveitar...
Agora, mais um vez,vem...

Gosto da tua pele !


O gosto da tua pele
sal impregnado em meus lábios
que me mata de sede
à beira da fonte dos teus prazeres.

O teu gosto na minha boca
mel que sacia meus desejos
na hora derradeira
do medo de te perder
em meio aos lençóis.

O teu cheiro impregnado
no meu corpo
perfume raro que nem a chuva
leva de mim...

Delírio de Dois Corpos



Vejo o relevo do teu corpo feito cadáver
Debruçado no meio do leito
E fico imediatamente derretido,
Embriagado pela voluptuosidade das tuas formas
E pela perfeição dos débeis tecidos que as envolvem!
O que contemplo causa em mim tal cegueira
Que todas as hormonas rompem em efervescência
E a minha mente ordena que me una a ti rapidamente…
Vou ter contigo…
Aconchego-me no teu regaço
E todo o meu ser entra em brava convulsão!

Ficamos os Dois, só os Dois,
Com trocas de mimos
E com actos de carinho alarmantes e escorregadios.
Então, a vontade de Beijos torna-se insuportável
E beijamo-nos ardentemente, com muito Amor.

Já não há roupas,
Apenas corpos misturados num só corpo.
Somos uma só boca, uma só saliva!
Queremos mais
E generosamente, no nosso ninho,
Rebentamos
Pela necessidade de nos satisfazermos,
De satisfazermos a nossa mente e as nossas entranhas…

Os carinhos são cada vez mais ternos, doces e intensos
E invadimo-nos
Numa saborosa telepatia de movimentos e sensações…
Sinto a febre dourada que paira entre nós…
Convertemo-nos em feras e largamos a suavidade.
Esmagamo-nos com toques de Delírio
Que obrigam os poros da nossa pele
A largar ininterruptamente um suor quente e desajeitado
Que escorre até aos nossos umbigos
E arde nas mãos de cada um de nós,
Formando brasas de rara excitação.

Trememos, transpiramos, gememos em loucura
Que parece aproximar-nos de uma asfixia conjunta.
Comprimimos o ventre do outro no nosso ventre.
As línguas vão estimulando os ossos
E o prazer é, agora, imponente e incontrolável.
Tudo aumenta a sua intensidade.
Tu gemes, berras, eu acompanho-te.

Somos finalmente UM!
Está saciada a nossa sede picante de furor
E está gasto o impulso que inflamou em nós.
Repetimos o bafo final que faz evaporar o calor
E, agora, graciosamente, continuamos a amar-nos,
Até mais não!
Quando o amor e o sexo se unem eternamente num só...
Com a pessoa que realmente amamos, toda a excitação atinge o máximo possível e tudo é fantástico e doce e mágico e bom...
Só contigo meu amor, (todos os dias da nossa vida), para todo o sempre...

Seu Corpo !



      Seu corpo um convite  aos meus
      desejos que se entregam por inteiro.
      Sinto o toque de suas mãos, que
      deslizam suavemente em busca
      de meus segredos.
      Sua respiração ofegante em minha
      nuca me leva a loucura, meu
      coração dispara, minhas
      mãos tremulas, afagam seus cabelos.
      Meus lábios saboream os seus,
      desfrutamos o sabor da
      paixão e loucos de tesão nos
      entregamos em êxtase.
      Somos um só neste instante
      e em delírio nos amamos,
      com volúpia nos pertencemos.

Eu Sou !


Eu sou dentro de sua vida o que você pensar
Um barco a deriva no meio do mar
Tiro deflagrado numa escuridão
Eu sou semente abortada no seio da terra
A fera faminta no meio da serra
Peito dolorido cheio de ilusão
Eu sou o sol encoberto sem poder brilhar
Um apaixonado querendo te amar
E você me disse que eu sou passado
Eu sou um cantor famoso que perdeu a voz
Que sente saudade de tudo entre nós
Um homem sozinho triste amargurado
Eu sou aquele que espera por coisas incríveis
Crê que com amor tudo é possível
E tem esperanças de você voltar
Eu sou um homem vencido pela dor do amor
Vive vegetando sem sentir sabor
Porque foi gostar de quem não sabe amar
Eu sou um carro rodando com óleo vencido
Uma canção boba que não tem sentido
Sou um seresteiro sem a madrugada
Não sei se deu pra você aqui me entender
Que sou zero esquerda e vivo a sofrer
Sem você comigo não sirvo pra nada