segunda-feira, 14 de março de 2011

Existe em mim a mulher que busca !




















existe em mim a mulher que busca ...
o inacessível...


o inatingível,...


e nesta busca quero encontrar


alguém que seja exclusivo,


que me ame,


por quem sou,


que descubra o quanto minha companhia é especial,


jamais igual,


sou leal,


sou exclusiva quando quero e quando amo,


isto me faz diferente...


Dá-me teu maior sorriso,


o amor escondido,


a tua mão aguerrida,


o colo esperado,


dá-me o suspiro profundo,


o desejo incontido,


a vontade exasperada,


e o calor como abrigo,


dá-me finalmente o teu silêncio expressivo


e cala meu peito com seu ardor....





Reencontro com o passado !

Nas viagens de muitas vidas,
ganham-se experiências
e aprendizagem do amor;
perdem-se, temporariamente,
presenças amigas.
A vida é eterna...
Noites e dias sucedendo-se pelo infinito...
Certas dores existenciais indefinidas
podem bem ser conseqüências
de afastamentos de amor amigo,
afastamentos de tempo equivalente
a uma ou mais vidas,
parecendo, por isso,eternos...
ainda que temporários.
se a separação ocorre sempre,
o reencontro igualmente é certo,
embora encoberto pelo esquecimento,
manto de cada encarnação.
Uma força de energia interior inexplicável
pode revelar uma amizade,
de tempo remoto, reencontrada;
emoção indefinida,
quase ilógica, mas tão forte,
feito o mar banhando as rochas,
com energia, suavidade e inconsciência,
sob cor dourada, de inteira beleza,
criada pelo sol ao entardecer.
Uma certeza íntima inteligível
pode ser a prova de um "reencontro",
sensação opondo-se à razão,
mas impondo-se feito raios solares,
que a despeito da noite,
invade-nos com inteira alegria reluzente,
num renascer em límpida manhã de vida.